Fila de São Miguel HISTÓRIA E ESTALÃO

 

HISTÓRIA

No século XVI, os primeiros povoadores das ilhas dos Açores teriam levado consigo alguns exemplares caninos. Entre estes estariam os cães de presa, denominados “Alanos” que teriam tido um papel fundamental no maneio do gado bravio, pois a pecuária desde sempre representou a principal actividade económica daquelas ilhas.

Paralelamente aos povoadores portugueses, as ilhas também foram alvo da colonização e contacto com outros povos, como Flamengos, Ingleses, Franceses, etc. que levaram consigo outras raças de cães como o Mastiff, o Bulldog, entre outros. O cruzamento dessas várias raças teria como resultado o cão de fila de S. Miguel que como o nome indica, tem o seu solar na ilha de S. Miguel. Na Ilha terceira também existe outro cão aparentado, o Fila da ilha Terceira, actualmente considerado extinto, embora com tentativas de recuperação.

O cão de Fila de S. Miguel tem o seu estalão elaborado desde 1984 pela Dr.ª Maria de Fátima Mendes e por António José Amaral que foi aprovado pelo Clube Português de Canicultura em 19 de Dezembro do mesmo ano. A partir de então ficou a ser reconhecida mais uma raça portuguesa, que veio a ser reconhecida provisoriamente pela FCI ( Fédération Cinologique Internacionale) em Março de 1995.

Actualmente é uma das raças portuguesas com maior crescimento em termos de efectivos. Na ilha de S. Miguel continua a ser utilizado na sua função de cão boieiro, sendo conhecido como “cão das vacas”.

É um espectáculo observa-lo no seu trabalho de condução do gado leiteiro, mordendo as vacas na zona do jarrete para não as ferir no úbere, ou mordendo mais alto quando é gado tresmalhado, ou então rondando os prados vigiando as manadas.

 

É um cão de temperamento forte e voluntarioso mas de fácil aprendizagem e obediência. É dócil e amigo do dono mas reservado com estranhos. No continente além de ser utilizado como cão boieiro, já se utiliza para pastorear cavalos e pequenos ruminantes, mas nestas situações têm que ser bem treinado.

Também começa a ser utilizado nas montarias ao javali, onde aparecendo já em grande número nalgumas matilhas e pelas forças de segurança (GNR e PSP), para além de guarda de propriedades e defesa pessoal.



Estalão/Morfologia

Aspecto Geral
Cão ligeiramente mais comprido do que alto, forte e rústico. De tipo mediolíneo e molossoide.

Cabeça
Forte, de aspecto quadrado. Eixos longitudinais superiores crâneo-faciais paralelos.
-Crânio: Largo, ligeiramente abaulado, protuberância occipital pouco aparente.
-Chanfradura: Pronunciada.
-Trufa: Larga e de cor negra.
-Chanfro: Recto, ligeiramente abaulado, de comprimento um pouco inferior ao comprimento ao comprimento do crânio.
-Lábios: Bem pigmentados, sobrepostos, rasgados, firmes, de perfil inferior ligeiramente curvo.
-Maxilas: Muito fortes, bem desenvolvidas. Com boa oposição.
-Dentes: Dentição completa com fecho em tesoura ou em pinça.
-Olhos: Ovais, expressivos, ligeiramente encovados, de cor castanho escuro, horizontais e de tamanho médio.
-Orelhas: Inserção acima da média. Quando não cortadas, são de tamanho médio, triangulares e pendentes mas ligeiramente afastadas da face, quando cortadas, são correctamente cortadas em redondo ou em dobra.
-Pescoço: com boa ligação, direito, forte e de comprimento médio. Não tem barbela.

Tronco
Forte, musculado e de peitoral largo.
-Peito: Largo e descido.
-Dorso: Direito.
-Lombo: De comprimento médio, largo e bem musculado.
-Linha Inferior: Perfil inferior ascendente, Ventres e flancos proporcionais ao corpo.
-Garupa: De comprimento médio em relação ao corpo, predominante em relação ao garrote.

Membros anteriores
Fortes , medianamente afastados e direitos. A espádua com angulação ligeiramente aberta.
Braços fortes, de comprimento médio e bem musculados.
-Antebraço: Grosso e bem musculado.
-Carpo e metacarpo: devem ser grossos, sendo este último de comprimento médio.
-Mão: Oval, com dedos e unhas fortes.

Membros posteriores
Fortes , medianamente afastados.
-Coxa: Comprida, musculada, com ângulo coxo-fumeral aberto.
-Perna: De comprimento médio e musculada.
-Tarso: De altura média, de comprimento médio.
-Metatarso: Grosso e de comprimento médio. Pode apresentar presunho simples ou duplos, que podem ser amputados.
-Pé: Oval, dedos fortes, não muito curvados. Unhas fortes variando a cor conforme a cor da pelagem
-Cauda: Inserção alta, grossa, de tamanho médio e ligeiramente encurvada que deve ser cortada até ao máximo da terceira vértebra.

Pelagem
Curta, lisa, densa, com pêlo de textura forte, ligeiramente franjada na cauda, região anal e posterior.
-Cor: Fulvo, cinza ou amarelo, nas tonalidades claro e escuro mas devendo ser sempre raiada. Podendo ter malha branca na região frontal e mento-peitoral, podendo ser manalvo ou pedalvo.
-Pele: Grossa e pigmentada.

Altura
50 a 60 cm para os machos e 48 a 58 para as fêmeas, mas actualmente já aparecem muitas vezes, principalmente nos machos, indivíduos com 2 ou 3cm acima dos 60cm.

Peso
Os Machos estão normalmente entre os 25 a 35 Kg e as fêmeas entre os 20 a 30 Kg.

Andamentos
Apresenta andamentos fáceis. Em movimento o posterior é ligeiramente bamboleante.


Defeitos e Penalizações
-Penalizantes: Ligeiro prognatismo. Eixos crâneos-faciais convergentes
-Desclassificativos: Forte prognatismo. Eixos crâneos-faciais Divergentes

Qualquer outra variação em relação a este Estalão será considerada um defeito, que será penalizado segundo a gravidade


Cuidados Específicos

È uma raça que não necessita de cuidados especiais, pois é muito resistente e rústica, precisando essencialmente de algum espaço e de exercício. Uma escovagem periódica para retirar os pêlos mortos é o suficiente.


Vantagens e desvantagens

É um cão perfeito para pastoreio de gado bovino, guarda de propriedades e defesa pessoal, para além de alguma propensão para a caça ao javali como cão de presa. Afectuoso para os donos, dominante, ágil e activo , não aceitando à primeira a presença de outros cães no seu território. Muito inteligente e com grande capacidade de aprender. Por tudo isto, é um excelente companheiro de aventuras de agilidade. Aguenta perfeitamente viver ao ar livre, suportando tanto baixas temperaturas como altas. Cão que ladra pouco e em situações especificas.
A sua educação têm de ser firme pois apresenta um forte caracter .

Classificação
1º Grupo
-cães de pastoreio e cães boieiros
SecçãoII:
-cães boieiros


Clube de raça

Clube do Cão de Fila de S. Miguel
Apartado 1450
9511-802 Ponta Delgada Açores
Telef.: 296281883
Fax: 296284728

 

Filho de Sírio da Vila do Monte (CH PORT) e de Nampula (CH ESP)
2 Títulos de Melhor da Raça e 4 C.A.C 
Campeão de Espanha

 

URSO DA CASA DA PRAIA

LOP-269892 » Ver Lop
DN- 30/10/01
Filho de Nazy da Casa da Praia (CH PORT e EW02) e de Duna da Mata do Eucalipto
Vice Campeão da Europa 2004
Campeão de Portugal- 2003
Campeão de Espanha- 2003
Campeão de Gibraltar- 2003

 

RINGO DE NOROESTE SUEVO

LOP-298468 » Ver Lop
DN-7/3/03
Filho de Bambo (CH PORT,ESP e GIB) e de Nampula (CH ESP)
Campeão Júnior da Europa EJ04
Campeão de Portugal
Campeão de Espanha
Campeão de Gibraltar
1º Campeão Internacional da raça de Cão de Fila de S. Miguel
JP04, EJ04, BOB06,07,09

 

FILA DE NOROESTE SUEVO

LOP-370852 » Ver Lop
Campeão de Portugal
Campeão de Espanha

 

DINAI DE NOROESTE SUEVO

LOP- 404550 » Ver Lop

 

YAR DE NOROESTE SUEVO

LOP- 404549 » Ver Lop

 

CAMÕES DE NOROESTE SUEVO

Campeão de Portugal
LOP- 456996 » Ver Lop

 

CALVIN KLEIN DE NOROESTE SUEVO

LOP- 500088 » Ver Lop

 

DRAGO DE NOROESTE SUEVO

LOP- 400950 » Ver Lop

TOP